Mentiras

Algo dentro dela sempre se agitará quando descobria uma mentira,
E pouco a pouco o estomago revirava,
Imaginando cenas nunca vistas ou ditas.

Ela tentava ocupar a mente,
Mas a lata não saia da sua mente,
De onde ela tinha vindo?

Ela estava quieta e calada,
Chateava-se com facilidade,
Mas a raiva era notória quando se tratava de mentiras.

Por menor que seja,
Fazia estragos maiores,
Uma mentira destroí muitas verdades já ditas.

Se afaste

Tudo estava calmo,
Mas ai você tocou no assunto novamente,
Eu já sabia meu amor,
A sua decisão, antes de você toma-lá.

Essa conexão é o que fode minha cabeça,
Eu sofro antecipadamente,
Mas eu tive minha parcela de culpa nisso,
Eu te entreguei de bandeja,
Devia ter sido mais egoísta.

Me desculpe eu não sei pensar em mim,
Meu erro talvez seja esse,
Então não se culpe,
Apenas arque com as consequências de suas escolhas,
E abrace o que você tem,
Porque nesse momento,
Eu não tenho ninguém.

Eu sou um andarilho sem rumo,
Que segue ao tom da melodia.
Não diga que me ama,
Não preciso ouvir,
Seu discurso de culpa.

Você me guardou em um armário,
Mas eu abri a porta e aos poucos vou fugindo,
Não pare a conversa,
Só me der tempo,
Pra digerir  tudo isso,
Se afaste, você é a última pessoa que quero ao meu lado agora.

Entenda, não é você o problema,
Mas estou me protegendo,
Já sofri muitas vezes calada,
Mas dessa vez preciso cuspir.  

GTA

Se você quer destruição e caos,
Então vamos lá, apenas olhe para mim,
Diga as verdades,
Que eu jogo as granadas;

Os TNT’s estão exposto,
A cerca elétrica já ta instalada.
Não mude de calçada por favor,
Não desvie das palavras.

Você que começou,
Jogou molotovs sem nenhum pudor,
Mentiu quando falou,
E o incêndio já começou.

Não atire pedras,
Em brigas de cachorro grande,
Não finja que acabou,
O tanque nem chegou,
O GTA mal começou.

Que mais posso fazer?
Você que começou,
Só continuei o que você não parou,
Não estou com colete a provas de balas,
Mas você muito covarde,
De armadura ainda ficou.

Corra, meu tiroteio não acabou,
Cuidado com a pólvora,
E não chegue tarde.

Nessa guerra de amores,
Cada um por si,
E save point,
É raro por aqui.

Cansaço mental

Estava tão entorpecida pelo cansaço mental,
Que aquilo tudo era teatral,
Sorria sem dizer uma palavra,
Andava de cabeça erguida,

Chorar não era mais uma opção,
O choque tomava seu corpo,
E o vazio lhe enchia a alma.

Uma melodia, uma canção,
Um café, um doce,
Uma bebida, um cigarro,
E assim ela seguia sem direção.

Não na sua estante

E é essa sua indecisão que nos deixa no chão,
Sua vida burguesa regrada de regras baratas,
Onde a diversão vem em primeiro lugar.

Mas eu não ficarei bem meu caro,
Não na sua estante, e nem nessa fila imaginária,
Aquilo me destruiu, mas eu apenas sorri.

Estou tão acostumada a me sacanearem querido,
Por isso não se sinta perdido,
Sua escolha já foi feita,
Agora eu posso escolher aonde ir.

Não espere que eu colha as margaridas e te parabenize pelo ato,
Mas te escolher foi um erro,
Erro de fato.

Agora calço minhas botas,
Amarro meus cadarços e sigo em frente,
Sempre sem rumo,
Sem pensar na gente,

Era como caixas

Ela era como caixas,
Armazenava decepções nas prateleiras mais altas,
Para assim o esquecimento lhe tomar o lugar.
Guardava boas lembranças nas gavetas mais próximas,
Para que a felicidade lhe tomasse o lugar.

Sorria e fingia,
Sorria e ria,
Fazia os outros sorrirem,
E assim despistava sua atenção.

O foco que colocavam nela,
Ela apaziguava com piadas,
Fazendo assim ser esquecida,
E desse jeito ela seguia,
Triste mas sorridente.