Eles

Era tamanha a dor, que apenas anestesiou. Parou de doer. Ela estava vazia novamente. Até que ele cruzou o caminho dela. Ela queria algo a que se agarrar, por mais temporário que fosse. Ele não queria se agarrar a nada. Ele não estava em sã consciência. Mas ele não sabia que ela também estava assim. Eles conversavam, discutiam, mas sempre dava no mesmo. Era tamanha a loucura, que quando terminava, cada um seguia sua vida, e ambos estavam assim. Ele com medo dela se iludir e se apegar. Ela com medo de ser deixada pra trás novamente. Ela não ligava pra o que eles tinham, ou que faziam, ela só queria a companhia de alguém. Era um ligação, onde ambos não esperavam nada um do outro, unidos pela dor, e por desejos carnais. Ela seguia com os pensamentos confusos. Ela tentava sentir algo, mas só afeto existia ali. Um instinto de proteger e cuidar. Sem obrigações ou amarras. Ela apenas aceitou as escolhas dela, e deixou fluir e ver no que dar.  Ele era importante pra ela, mas não era alguém que ela amava profundamente. E acho que é isso que tornar as coisas bem mais fácies pro dois. E no calor do momento dois corpos aqueciam-se um ao outro, esperando assim sentir um êxtase de prazer, onde ambos poderiam por um momento esquecer o que os afligiam.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s