Vá em Paz

 

 

Ela acordou como se na noite passada, tivesse levado uma surra. Estava dolorida. Mas não eram dores físicas, mas sim, dores da alma. A morte havia mais uma vez lhe visitado. Desta vez para anunciar a morte de mais um ente querido. Ao qual mal mantinha contato. Mas a dor ainda precisa ser sentida. O luto precisa ser passageiro, mas nem por isso, precisa ser esquecido. “Estou bem ele disse. Não estou sofrendo mais. Então alegrem-se!” Os olhos dela se encharcaram ao ver a Tia definhar, e a avó passando mal. Que mulher forte, lá se vai mais um filho. Já dizia a música: “A vida é mesmo coisa muito frágil.” Um sopro de Deus, e ar em nossos pulmões podem parar. Pois não cai uma folha de uma árvore se Deus não permitir. Que seja feita a vontade dele. Se ele o chamou, é porque ele sabe o que faz. Vá em paz Tio.

Permita-se

 

Permita-se, esvair-se tudo quanto é dor,

E que o mar de flores vire espinhos,

Espete-se, sinta a dor,

Sinta a alma chorar,

Permita-se sentir isso.

 

O vazio é angustiante,

Então permita-se sentir,

Dores, sabores, amores.

Permita-se existir,

Permita-se viver,

Porque de que adianta existir sem viver?

Ou viver sem existir?

 

Permita-se sentir,

Chorar, cantar,  gritar.

Permita-se externar,

Apenas permita-se.

Eles

Era tamanha a dor, que apenas anestesiou. Parou de doer. Ela estava vazia novamente. Até que ele cruzou o caminho dela. Ela queria algo a que se agarrar, por mais temporário que fosse. Ele não queria se agarrar a nada. Ele não estava em sã consciência. Mas ele não sabia que ela também estava assim. Eles conversavam, discutiam, mas sempre dava no mesmo. Era tamanha a loucura, que quando terminava, cada um seguia sua vida, e ambos estavam assim. Ele com medo dela se iludir e se apegar. Ela com medo de ser deixada pra trás novamente. Ela não ligava pra o que eles tinham, ou que faziam, ela só queria a companhia de alguém. Era um ligação, onde ambos não esperavam nada um do outro, unidos pela dor, e por desejos carnais. Ela seguia com os pensamentos confusos. Ela tentava sentir algo, mas só afeto existia ali. Um instinto de proteger e cuidar. Sem obrigações ou amarras. Ela apenas aceitou as escolhas dela, e deixou fluir e ver no que dar.  Ele era importante pra ela, mas não era alguém que ela amava profundamente. E acho que é isso que tornar as coisas bem mais fácies pro dois. E no calor do momento dois corpos aqueciam-se um ao outro, esperando assim sentir um êxtase de prazer, onde ambos poderiam por um momento esquecer o que os afligiam.

 

Costurando a alma


Eu olho e finjo estar tudo bem. 
Mas quando eu me tranco no meu mundo. 
Eu tento ocupar minha mente, 
E não divagar através de seus olhos,
O labirinto mais profundo que eu caí.
Promessas vazias de dias melhores, não foram alcançados. 
E eu estou aqui, em meio a devaneios. 
Um café para acalmar. 
Um cigarro para tragar.
Mas ainda está vazio, sem você!

Mais um livro por favor,
Mais uma história a embalar minha mente,
Mais um artificio displicente,
Um mundo inexistente,
Ao qual me prendo desesperadamente. 

Submersa no ultimo gole de lágrimas,
Onde a alma ferida, se remenda pouco a pouco,
Costurando no lugar uma cicatriz profunda,
Remendando buracos profundos
E assim, seguindo em frente,
Sem olhar pra trás.
 

The Heart Of Betrayal – Volume 2 (Crônicas de Amor e Ódio)

1525959_orig

Especificações do Livro :

Encadernação: Brochura
Formato: 21 x 14 x 2,6 cm
Número de páginas: 320
ISBN: 8566636406
Autora: Andrew Pyper
Tradutoras: –
Editora: DarkSide®
Idioma: Português
Gênero: Literatura estrangeira – Romance
the-heart-of-betrayal-banner-01
Sinopse:
 Em THE HEART OF BETRAYAL – Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela.

Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família… e seu próprio destino.

Não faltam reviravoltas nessa incrível fantasia que integra a linha Darklove – Mary E. Pearson vai deixar os leitores sem fôlego nesse segundo ato de uma trilogia que ainda promete arrebatar o coração de muitos. Empolgada com a receptividade calorosa dos brasileiros, Mary está se sentindo em casa com toda a repercussão de sua trilogia por aqui: “Nunca imaginei ter tantos fãs no Brasil! Espero visitar vocês em breve”.

the-heart-of-betrayal
Resenha:
 Nessa brilhante aventura Lia é presa pelo Assassino Kaden e seus capangas. Uma longa viagem a Venda mostra a Lia a realidade cruel que esses homens vivem, e para a surpresa de Lia, Rafe também é pego por outros bárbaros de Venda.  Enquanto são mantidos em cativeiros, Rafe confia em seus homens pra resgatarem ele e Lia. E Lia aprende melhor os costumes da terra natal de Kaden, e se sensibiliza com a situação ao qual ela registra. O Komizar (O rei de Venda) acaba usando Lia para conquistar e manipular mais aldeões, conseguindo assim o respeito pelo Dom e a sensibilidade através de Lia. Kaden e o Komizar começam a se bicar. E Calantha se mostra mais amiga que inimiga.
Nesse livro, vemos a evolução de Lia estampada. De uma princesa fugitiva, ela se transforma em um soldado e independente. Descobri o sentidos das mentiras pra sobreviver. Se sensibiliza com a situação de Venda ao qual os reinos vizinhos não estavam nem ai. Conhece melhor o príncipe. Descobre o quanto é bom confiar, desconfiando. É uma leitura fluida e impactante. Reviravoltas e Assuntos pendentes estão a se resolver. E finalmente chegamos a pico da história. Um livro rico de detalhes, sentimentos, romance, fúria e sangue. E o poder feminino continua em evidencia.
cja9dn4weaetuqb
NOTA:
af7bf-52bestrelas

O brilho

tumblr_maxquu3z7o1r70ivpo1_500

 

 

Era sereno e tentador,
O brilho do mel dos teus olhos.
Era frio e devorador,
O brilho do mel dos teus olhos.

Nos pés, botas de combate,
De um verdadeiro Galanteador.
Calças surradas de batalhas nunca vista,
De um verdadeiro batedor.

Era tamanha agonia,
Que até a calmaria,
Se acentasse no brilho do sorriso,
Do sorriso dos seus olhos.